terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Sereno


Hoje a lua brilha tanto que parece dia,
E eu queria chamar atenção de toda a cidade,
Pois sei que mais pessoas tristes teriam um sorriso involuntário como eu tive.
Você vai pensar que eu sou rude
Mas eu apenas ficaria de pé e observaria.

Quem foi mesmo que disse que contar as estrelas dá verrugas?...Na realidade algumas pessoas dizem que o problema está em apontar para as estrelas, outros dizem que é por contá-las.
Que seja!
Se for assim, então chamem um médico, pois esta noite eu dedicarei os meus olhos as estrelas e me banharei com o luar mais radiante que os olhos de qualquer um dos meus amores.
Tudo começou quando eu pensei ter terminado mais um dia, voltando pra casa percebi que não precisava de luzes pelo caminho, não precisava de pessoas para me acompanhar, não precisava de nada a não ser aquele momento.
Senti aquele luar tão forte e calmo me iluminando, meus olhos brilhavam como fogos de artifício e meu coração parecia livre para pulsar, pular e respirar feliz.
O que mais eu poderia querer além de sentir a noite...
Entreguei-me, sorri!
Uma paz sem explicação me invadiu.
Problemas, cálculos, sofrimento, geometria, 10% de desconto...Onde estão as chaves de casa?
Nada me importava, talvez eu ficasse feliz se não precisasse entrar em casa ou se quer pensar.
Parecia que eu estava dormente da cabeça aos pés, eu sabia que existia a um peso enorme sobre mim, mas não sentia nada além do sereno. Eu levaria esse momento pela eternidade, passaria noites conversando com o luar, as estrelas e esperaria feliz até que eu esbarre por ai com meu doce mel de abelha.
Eu cantaria todas as noites, com meu violão imitaria o som do vento, roubaria dez mil vagalumes dos meus sonhos para enfeitar a noite. É difícil acreditar que o mundo gira devagar, mas eu diminuiria mais o ritmo, porque tudo parece irreal quando me perco no momento
Eu poderia fazer isso a noite toda.
Claro que eu poderia falar sobre os meus amores para o luar, mas tudo que peço é que traga logo meu verdadeiro amor, pois eu estou cansada de viver sozinha criando canções de amor para ninguém. E eu fico procurando todos os dias te encontrar, não tenho certeza de quem procuro, mas vou saber quando ver.
A noite está ficando mais fria e algo me lembra que preciso dormir, mal sei que horas são e já sinto que está tarde, poderia ficar aqui a noite toda e ver o sol nascer agradecendo pelo brilho que ele proporciona ao luar. Peço a Deus que me dê muitas noites como essa, porque não existe nada melhor do que ser uma pessoa cansada e feliz sem motivos, fazendo uma coisa tão boba e se sentindo incrível por viajar entre as estrelas com a luz do luar.
Não sei como vão ser os dias daqui pra frente, mas a partir de hoje eu sei que quando me lembro do luar não me sinto mais sozinha. Deixa a dor passar, a ferida arder, sinta apenas o sereno sobre o seu rosto e pense que amanhã pode não ser melhor, mas será diferente, assim como todas as noites são diferentes e deslumbrantes a cada dia e a maioria das pessoas estão ‘ocupadas’ demais para parar por um instante e olhar pra cima. Mal sabem elas que a solução, a resposta, a cura, o alívio...muitas vezes está apenas em sentir a noite.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Entre a confusão das minhas canções




“Passo horas falando pra ficar muda de repente,
Passo toda a segurança do mundo pra me derrubar em medos bobos.”

Sabe quando o céu está azul demais e não combina com sua expressão triste e confusa;
Ou quando o pôr-do-sol está tão belo e profundo que você não consegue evitar aquele sorrisinho de beira de boca, sem motivo...
Pois é, difícil explicar como consigo achar coisas belas no meio da minha confusão.
Eu nunca fui muito organizada em relação a coisas pessoais, meu quarto nunca permanece arrumado, minhas roupas sempre ficam bagunçadas quando estou com pressa e eu sou tão relaxada comigo mesma quando fico o dia inteiro em casa. Eu tomo banho, mas nunca tiro a roupa de dormir; Eu vou para as nuvens, mas nunca saio da frente do meu notebook.
Quantas e quantas vezes alguém já me disse:
- Por ai não, você vai se machucar!
Mas eu sempre achava tudo inferior ao meu jeito de ver as coisas, ninguém era alto o bastante pra saber. E por eu estar sempre “alto” demais, minhas quedas eram grandes e realmente machucava muito.
Eu nunca aprendi.
Eu nunca cobrei a confiança das pessoas em mim, até por que... Nem eu confio muito em mim, mas sou confiável, “gente boa” como diz por ai. Os estragos que eu faço afetam tão e somente a mim mesma. Ultimamente eu não consigo confiar em mim nem pra olhar no espelho, estou sendo sincera demais comigo mesma e não sei de nenhuma solução para resolver meus problemas.
Eu não tenho medo de chorar, posso apenas deixar as lágrimas caírem por horas e sentir a dor rasgar mais um pouquinho o peito, mas ultimamente eu aprendi que sofrer está meio fora de moda, então eu invento um motivo bem idiota pra rir e depois disso apenas vejo o dia passar como se estivesse entorpecida, anestesiada, dopada....que seja!
A verdade é que eu não tenho muita paciência comigo mesma, eu me cobro demais e nada sai certo ou perfeito, eu choro muito e depois de um tempo me sinto uma idiota chorona, se eu estou sorrindo demais me sinto uma boba, eu brigo comigo por ações feitas, chego a ser falsa comigo dizendo que está tudo bem e que amanhã algo pode salvar o dia.
No final das contas eu sou confusa e não sei bem o que ou quem sou, só sei que vivo...Sempre tentando ser melhor , perco horas criando um personagem tão incrível e chamativo em minha mente, que às vezes preciso de um beliscão pra voltar a realidade e ver no espelho que eu não sou quem imagino e quero ser. Mas minhas imaginações são tão perfeitas como folhas de revista em quadrinhos que na maioria das vezes prefiro ficar nelas que viver a realidade e me decepcionar sempre ao final de um novo dia.
Eu sou uma máquina perfeita por fora, cheia de curtos circuitos por dentro.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Best Of You


“Em tempos assim, você aprende a viver de novo.
Em tempos assim, você dá e dá de novo.
Em tempos assim, você aprende a amar de novo.
Tempos assim vivem se repetindo...”

(Foo Fighters – Times Like These)


Eu pensei em escrever algo de minha autoria, mas vi que não era necessário.
Nada como uma boa música antiga que boa parte de vocês devem conhecer pra dizer tudo e mais um pouco. Lê curtindo o som:



Eu tenho outra confissão a fazer
Eu sou o seu tolo
Todos têm correntes para quebrar,
Segurando você
Você nasceu para resistir
Ou ser abusado?

Alguém está tirando o melhor, o melhor, o melhor, o melhor de você?

Ou você se foi e está com outra pessoa?
Eu precisava de um lugar para me enforcar
Sem o seu laço
Você me deu algo que eu não tinha
Mas que não teve uso
Eu estava fraco demais para desistir
E forte demais para perder
O meu coração está preso de novo
Mas eu me libertarei
Minha mente me oferece vida ou morte
Mas eu não consigo escolher
Eu juro que nunca vou desistir
Eu me recuso

Alguém tirou a sua fé?
É real a dor que você sente
Você confia?
Você deve confessar
Alguém está tirando o melhor de você?

A vida, o amor, você morre para se curar
A esperança que dispara os corações partidos
Você confia?
Você deve confessar
Alguém está tirando o melhor de você?

Eu tenho outra confissão, meu amigo
Eu não sou um tolo
Estou ficando cansado de recomeçar
Em um lugar novo
Você nasceu para resistir ou para sofrer abusos?
Eu juro que nunca vou desistir

Alguém está tirando o melhor de você?”

(Foo Figthers – Best Of You)

Entre o Céu e o Mar



“Um dia nublado é mais comum do que você pensa."
(Vanessa Carlton)


Desculpe começar com a minha sinceridade, mas é involuntária a necessidade de dizer que eu sou forte por fora, não completamente. Ainda existe uma menininha que se perde sempre que volta pra casa, uma covarde que se esconde pra chorar quando o nó na garganta começa a se desfazer e subir para seus olhos, já que a boca insiste em permanecer fechada, existe uma garota comum com as mesmas manias de sempre, uma vontade incontrolável de parar o tempo quando diz “Mas já amanheceu!?... deixa passar mais dez minutinhos.”
Não sou um desastre natural tão grande quanto parece. Eu fico acordada até tarde e não sou amiga da balança, por vezes mergulho na preguiça e sempre deixo algumas coisas passarem, a maioria dessas coisas nunca voltam e eu vejo o quanto preciso delas, então novamente estou eu correndo igual uma louca tentando controlar o incêndio com um copo d’água. Eu nunca me acho bonita o suficiente, a maquiagem nunca consegue esconder as expressões dos meus sentimentos, a roupa nunca estará exatamente perfeita, desde que não seja All Star o sapato nunca será completamente confortável, eu sempre vejo horas e minutos iguais ou inversos, mas não me apego aos seus significados. Eu sou praticamente uma metamorfose ambulante tão estranha com minhas manias e tão igual quanto às manias alheias.
Um dia desses sentada na areia, olhando o fim de tarde de um dia imperfeito qualquer me lembrei de inúmeros poemas, crônicas e histórias sobre “Céu & Mar”, a partir desse instante com uma estranha curiosidade comecei a enumerar coisas, motivos, vontades e existências entre o céu e o mar. Não queria ser só mais uma escrita sobre “Céu & Mar”, mas eu precisava escrever sobre isso.
Descobri que entre o céu e o mar existem desejos e esperanças, nem sempre alcançados, mas eternamente motivados por uma fé que faz fechar os olhos e ver anjos em meio a uma guerra.
Existem homens e mulheres tecelãs, tecendo seus sonhos com fios de lágrimas.
Existe uma grande questão que nunca se responde: Por que quando estamos sozinhos sofremos por não ter a quem amar e quando amamos o amor machuca e dói demais.
Entre o céu e o mar existe tudo aquilo que você quer perto o suficiente pra você provar, mas você não pode tocar.
Existem palavras, muitas perdidas ou jogadas fora.
Existem pessoas que acreditam e desconfiam e tem milhares de coisas guardadas dizendo: Se ao menos eles soubessem!
Existe a felicidade, a dor, a nostalgia, os culpados por noites em claro, os inocentes por ilusões devastadoras, o sorriso que esconde a lágrima.
Os seus olhos, os seus braços, onde você nunca imagina que possa ser o desejo de alguém.
Existe uma garotinha que acordava no meio da noite chorando pelos mesmos malditos motivos, que chorou durante anos sozinha. Hoje ela está curada, mas suas cicatrizes sempre irão lembrá-la de tudo e ela prometeu jogar sempre do lado mais seguro pra não se machucar outra vez.
Eu ainda sinto o vento frio que vem entre o céu e o mar, ele é pesado e leve ao mesmo tempo, traz consigo tantas histórias, tantas faces.
Ele sussurrou pra mim que sabe de tudo e que apesar de não ler mentes está em todas as situações e consegue ler faces, um olhar nunca esconde nada.
Esse mesmo vento me sussurrou algo que eu precisava muito saber.
Dizendo assim:
- Sabe toda essa saudade?
Encare como eu, o vento, você não pode ver, mas pode sentir e dependendo do tempo pode trazer tanto a paz e o conforto quando a dor e a angústia.

sábado, 20 de novembro de 2010

Is this thing


“Ei, nós não nos conhecemos muito bem
Então porque eu continuo pegando meu celular?
Relembrando as recordações
Ouço vozes que eu não quero entender”
♪ (Amerie – One Thing)

Nesses últimos tempos fiquei mais sensível, então tive que redobrar o cuidado comigo mesma e na realidade... Eu não sou nada fácil. Mudo de opinião milhões de vezes por minuto, me agarro nas pessoas que amo, me escondo das pessoas que amo, corro pra alcançar o que quero, corro pra fugir de nada, invento um mundo lilás e moldo ele conforme as pessoas que o freqüentam, se algo me deixar mal eu pinto o mundo que inventei e troco tudo pra tristeza não reconhecer o lugar, na verdade eu vivo camuflada com medo de que sentimentos ruins me achem...Para as coisas boas, eu apenas deixo um convite para um encontro infinito e secreto.
Depois de acontecimentos tão loucos e incríveis na minha vida eu fechei os olhos e apenas tentei imaginar a realidade, mas não consigo mais fechá-los. Eu corri com medo da ilusão ter descoberto minha camuflagem, tentei me desligar disso, mas tem coisas que nós nunca pensamos e param diante dos olhos. Tentei manter tudo como antes, mas parecia algo real sem explicação.
Talvez eu apenas não acredite nisso por estar cansada de tentar, mas tem algo que por segundos me faz acreditar... Então eu estaria talvez presa do avesso girando no mesmo lugar?
E tem algo que vem de você que tem as chaves da minha mente, olha você fez uma bagunça!
Tudo que me resta é cantar com a Amerie e dizendo:

“É essa coisa que me faz tropeçar
É essa coisa que me deixa alucinada
Essa coisa que minha alma pode estar sentindo
É essa coisa que você fez
É essa coisa que me fez escorregar
É essa coisa que eu quero admitir
É essa coisa e eu estou com ela
É essa coisa que você fez”



Nota: algumas frases do post é a letra da música One Thing – Amerie, porém com o sentido modificado.
  

domingo, 14 de novembro de 2010

Então...


Você era tipo meu amante e meu melhor amigo
Tudo embrulhado e com um laço em cima
E de repente, você foi embora
Eu não soube como seguir...
Você nem mesmo reconhece a forma como me magoou, não é?
(Rehab – Rihanna)

Como diz outra parte da mesma música acima: “Droga, não é uma loucura quando você está completamente apaixonada? Você faria qualquer coisa por quem ama, porque sempre que você precisasse de mim, eu estaria lá é como se você fosse minha droga favorita. O único problema é que você estava me usando de um modo diferente de como eu estava te usando”
Essa é a maior verdade que já existiu no meio da minha mente cansada e bagunçada. Por que precisamos ficar tão cegos e idiotas vulneráveis quando estamos amando? Já não basta o sentimento de felicidade e dor ao mesmo tempo, o medo de perder, a alegria de amar, a insegurança de não saber o que está fazendo.
Eu nunca tinha acreditado suficientemente em amor, sabia que existia, mas ignorava a existência talvez por pensar que não aconteceria tão cedo comigo, até que veio você... Carregado de problemas e triste por alguém que não gostava de você. Então eu te ajudei e um dia eu acordei com você no meu mundo, só me pergunto todos os dias por que eu tinha que amar justo você... No final das contas seria mais vantagem amar um canalha, um mentiroso, mas você... O único mal que você fazia eram incensáveis cócegas até eu chorar de tanto rir.
Eu deveria saber que você era inocente demais pra cair na primeira armadilha que qualquer conspiração armasse pra nós. E caiu!
Talvez esse fosse meu maior medo: você me tinha em seus braços, mas eu nunca pude te segurar com as mãos. Então você foi e eu nem posso culpar tanto as nossas conspirações, pois você foi com seus próprios pés, como uma criança influenciada por um doce. Acho que eu fiquei doente e insana.
Tentei deixar outras pessoas ocuparem aquele vazio, mas ninguém tinha aquele sorriso tímido, nem aquele abraço doce. Eu passei por tanta coisa, menos por você novamente e estava ficando cansada de deixar as pessoas erradas na minha vida. Então coloquei todo mundo pra fora e me tranquei com o espelho.
E eles diziam: Você me aceitou do jeito que eu era e sabendo como eu era. Por que isso agora?
E eu respondi: Sim te aceitei e é com a mesma aceitação que eu te mando embora de mim, essa aceitação agora é pra mim, cansei de moldar as pessoas ao meu jeito e nunca ser naturalmente real, aliás... Quem algum dia me aceitou por completa e mais bônus adicionais?
Eu fiquei um tempo ali presa com o espelho, tentando me aceitar e achar algo útil, mas foi isso que eu ganhei pelo pensamento ilusório: Eu me culpei por tudo e nunca me achava o suficiente, porque se eu fosse você talvez ainda estivesse aqui. Não consegui achar nada em mim, então resolvi esperar... talvez alguém que me queira bem.
Então alguém me achou enquanto eu esperava por um sonho se infiltrar. E hoje meu sonho é o abraço e o sorriso desse alguém, que não são iguais ao seu, porém me fazem sorrir e estar sempre bem. Talvez não falte muito pra eu não lembrar mais do seu ou até mesmo de você.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O que você nunca vai saber


Tem a ver com Édipo, tem um pouco de vergonha, tem a ver com seus olhos claros, com seu sorriso perfeito, com as linhas do seu rosto.
(Talvez – Verônica H.)


Não pretendo te contar sobre minhas lutas mentais. Você terá nas mãos minha simplicidade e minha leveza, que podem não ser totalmente verdadeiras, mas foram criadas com muito carinho pra não assustar pessoas como você. Não vou ficar falando sobre a complexidade dos meus pensamentos, minha dualidade ou minhas dúvidas sobre qualquer sentimento do mundo. Vou te deixar com a melhor parte, porque eu sei que você merece. Guardo pra mim as crises de identidade e a vontade de sumir. Não vou dissertar sobre minhas fragilidades e minhas inseguranças. Talvez eu te diga algumas vezes sobre minha tristeza, mas só pra ganhar um pouquinho mais de carinho. Ofereço meu bom humor e minha paciência e você deve saber que esta não é uma oferta muito comum.

Se você tivesse chegado antes, eu não teria notado. Se demorasse um pouco mais, eu não teria esperado. Você anda acertando muita coisa, mesmo sem perceber. Você tem me ganhado nos detalhes e aposto que nem desconfia. Mas já que você chegou no momento certo, vou te pedir que fique. Mesmo que o futuro seja de incertezas, mesmo que não haja nada duradouro prescrito pra gente. Esse é um pedido egoísta, porque na verdade eu sei que se nada der realmente certo, vou ficar sem chão. Mas por outro lado, posso te fazer feliz também. É um risco. Eu pulo, se você me der a mão.

Você não precisa saber que eu choro porque me sinto pequena num mundo gigante. Nem que eu faço coisas estúpidas quando estou carente. Você nunca vai saber da minha mania de me expor em palavras, que eu escrevo o tempo todo, em qualquer lugar. Muito menos que eu estou escrevendo sobre você neste exato momento. E não pense que é falta de consideração eu dividir tanto de mim com tanta gente e excluir você dessa minha segunda vida, porque há duas maneiras de saber o que eu não digo sobre mim: lendo nas entrelinhas dos meus textos e olhando nos meus olhos. E a segunda opção ninguém mais tem.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Valer a Pena


Tanta coisa desperdiçada à tarde
Tanta coisa sagrada no mês de junho
E quanto a você? ♪ 
(John Mayer – Clarity)


Olhe ao redor e respire lentamente, o que você sente?
Sou responsável por cada ato feito em cada segundo e mesmo tendo plena ciência de tudo que faço continuo sem saber o que fazer. Às vezes eu apenas desperdiço meu tempo fazendo o que não vale apena, porém entre algumas vezes vejo que o que parece não valer à pena, vale uma grande lição. Então passa a valer à pena!
Falando em “valer à pena” você sabe o que significa a expressão? (Ou você pensou mesmo que seria pena de “sentir pena”?)
Todos sabem que antigamente não existia caneta, existia uma tinta e a pena para escrever. Essa expressão se refere a essa pena, antigamente as pessoas se perguntavam se valia gastar a pena com as coisas ou histórias que escreviam.
Existem tantas coisas na nossa vida que não acontecem e nem sabemos que poderia acontecer. Verdade! Um exemplo?...
Desencontros.
Os dias são longos e nos entrelaçamos com tantos rostos, não conseguimos lembrar nem de no mínimo dez pessoas que olhamos, talvez de algumas que nos chamaram atenção, mas são tantas faces, tantos gestos e estilos diferentes.
Já parou para pensar quantas vezes você já passou pelo mesmo lugar que o amor da sua vida sem nem conhecê-lo? É..no mesmo instante, juntos! Talvez entrelaçando as faces ou apenas seguindo o mesmo fluxo. Ou quantas vezes se deparou com a hora certa, mas não foi ágil o suficiente pra perceber isso e talvez tenha encarado o que poderia ser um dos melhores dias da sua vida como um dia comum. Você nunca vai saber disto.
- Ahh! Mais isso faz parte da vida, acontece todo instante, é normal!
Sim, é normal. Porém eu não estou falando de destino, estou falando de atitudes!
Existem dias que eu acordo e fico me policiando em tudo que faço e me perguntando “o que será que eu perdi tomando essa atitude?”. Eu sinto muito medo do tempo, pois ele não nos diz o que vem pela frente e independente de errarmos ou acertarmos ele sempre leva um pouco da nossa vida. Não existe tempo só para erros, pois entre tantos erros nós acertamos na vida, mesmo esse acerto sendo a certeza de que vou errar.
Queria poder ser mais rápida, mais corajosa, não desistir tão rápido. Existem vezes que me encontro em um desconforto tão grande que tudo que eu consigo fazer é deitar e sentir as feridas ardendo com o pensamento dizendo “um dia vai sarar”. É..eu preciso parar de alimentar essa covarde covardia, levantar e ignorar os machucados, eu perco muito tempo.
Quando você tenta pegar algo e esse algo sempre foge, você luta por aquilo e quando finalmente pega ele morre em suas mãos, assim são os nossos sonhos, a nossa fé, nossa esperança. Tanta coisa desperdiçada de tarde e quantas vezes eu já me rendi hoje?
Preciso limpar toda essa bagunça e parar de viver com medo do futuro, mas apenas viver intensamente para a dor ser mais leve e que o arrependimento seja por ter feito e não por ter deixado de fazer. Amanhã pode ser muito tarde!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

É Você...

E no meio de tanta gente eu encontrei você
Entre tanta gente chata, sem nenhuma graça, você veio
E eu que pensava que não ia me apaixonar nunca mais na vida.
Eu estou assistindo você e eu estou esperando
para a hora perfeita começar
.


Sempre quis estar do lado mais seguro do meu castelo de medos..Sim! Isso mesmo que você leu, eu tenho um castelo de medos, eu guardo todos para me protegerem de tudo.
Eu já me iludi, já me decepcionei, já chorei, já falhei, já fiz tanta coisa...
E parei!
No momento que você chegou, eu corri e me escondi no meu castelo, mas você o destruiu e agora eu passei a precisar de um refúgio.
Eu peguei os meus sonhos inacabados que estavam bagunçados pelo chão e me escondi no meio de tudo, mas você roubou todos eles e eu senti a necessidade de sonhar.
Eu fiz um labirinto de histórias e cobri tudo com o tempo, mas eu acabei me perdendo no meu próprio jogo e o tempo se rendeu a você deixando escapar as histórias e eu fiquei sem nada para fazer.
Eu costumava andar em círculos, reclamar da vida, ficar nervosa, me matar aos poucos, mas de repente eu senti pela primeira vez medo de morrer. Eu me machuquei e passei a não deixar mais ninguém entrar.
Eu olhava ao redor e não achava graça, existia uma multidão e um mundo colorido e eu vivia no preto e branco, foi quando você me pintou e deu uma pincelada no meu nariz de vermelho me fazendo rir de mim mesma pela primeira vez, eu me sentia tão boba.
Então você se tornou um castelo pro meu refúgio;
O principal motivo para os meus sonhos vivos e infinitos;
Você agora me faz querer criar histórias, levantar, sair correndo, voar e brincar;
Hoje eu ando em sua direção, eu agradeço a Deus pela vida, eu respiro e me arrependo de ter estragado tanto a minha saúde, eu olhei ao redor, pisquei e você não só entrou na minha vida como cortou caminho para o coração;
Eu me sinto mais viva, caio na gargalhada sem muitos motivos, tenho uma inspiração, eu olho nos seus olhos e então você sorri e eu penso: Mas o que o mundo fez pra você rir assim?
Quantos anjos será que foram precisos para inspirar o seu rosto, a sua voz, o seu jeito...Aliás, quem é você que sempre me faz pensar em ficar atrás da porta do paraíso pra te ouvir?


Hanging By a Moment Here With You


Às vezes eu pressinto e é como uma saudade
De um tempo que ainda não passou
Me traz o seu sossego
Atrasa o meu relógio
Acalma a minha pressa
Me dá sua palavra
Sussurra em meu ouvido
Só o que me interessa. ♪

Saudade.
Algo que consegue ser tão comum e avassalador, às vezes dói, às vezes faz bem, outras vezes nos faz descobrir sentimentos, afinal...quem nunca sentiu saudade?
Eu serei a primeira a levantar as mãos para dizer que sinto saudades. Nunca imaginei que isso pudesse chamar tanta atenção assim, principalmente quando ela aperta o seu coração como se ele estivesse tão desprotegido, quando te faz pensar e principalmente te faz precisar de alguém.
Às vezes penso que a saudade talvez seja suicida, pois deixa-nos tão insanos a ponto de querermos matá-la o mais rápido possível, mas ela sempre consegue um jeito de fugir e vive avisando que voltará. Talvez ela seja uma semente e dependendo do jeito que for plantada pode despertar vários tipos de reações ou a ausência de alguém que te mostra a importância de estar perto.
Sinto inveja dos meus pensamentos, pois eles podem te tocar, podem voltar no tempo quando estava perto em um ponto necessário do seu abraço, podem criar cenas e roubar todos os tipos de sentimentos bons e te entregar nas mãos como se não fossem abstratos.
Hoje eu estive por debaixo do luar e conversei com o vento como se ele pudesse levar tudo pra você por uma corrente movida pela saudade, eu desenhei a expressão do meu rosto, apreciei neons e sussurrei que sentia sua falta. Olhando as estrelas, montando os acordes do meu rosto, cantando o meu sorriso ou apenas tentando me decifrar...eu queria que você estivesse aqui.
Esperar.
Eu tento montar meu caminho até você, mas me sinto perdida ainda e não vejo um apoio para as minhas decisões, meus pés ainda estão cansados, minha voz talvez esteja meio falhada, mas as minhas mãos ainda conseguem segurar de um lado os meus sonhos e do outro um mapa que me levará até você, eu já sei o caminho de cabeça e quem sabe eu num tenha treinado para esse momento em algum dos meus sonhos em meio a solidão. Não sei bem ao certo o que acontece conosco quando é preciso esperar, prefiro resumir em uma só palavra: Medo.
Paciência.
É tudo que precisamos para lidar com a saudade, como eu consigo?
Simples! Eu já disse que tenho inveja dos meus pensamentos, mas é justo quando eles estão com você que eu não me sinto sozinha e tenho força suficiente pra esperar, sonhando sempre com o seu abraço.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Dreaming

Eu precisava de um abraço pra afugentar o frio,
e todos os meus medos.
E lá estava você, com tudo que eu precisava,
um abraço-agasalho.
(Taila – ‘Modificado’)


Ao pensar em escrever lembrei-me de pegar algo pra comer e uma coca bem gelada pra esfriar os pensamentos como de costume, mas mudei de idéia, minhas lembranças já bastam para escrever tudo que preciso.
E quem poderia imaginar que um dia a solidão de uma borboleta traria seu vôo mais lindo, que o pássaro mais triste iria cantar a inspiração de uma sinfonia, quem imaginaria que eu fosse me achar perdida nos acordes de uma música suave que tocava ao longe em um violão velho que quase ninguém queria mais usar.
Eu disse que iria me jogar nessa enorme indecisão de viver uma vida incerta.
Não me arrependi.
Eu vi olhares mais acesos e senti o frio como ele realmente é, a ponto de congelar meus pulmões por alguns segundos e me trazer de volta a vida novamente.
E pesadas asas ficaram mais leves, eu esqueci o mundo que conheci, provei o céu e me senti viva novamente. Todas aquelas coisas que deixei pra traz e remexiam minha mente, agora está tudo curado dentro de mim.
Eu aprendi a voar nos lugares mais altos sem tirar os pés do chão, eu sabia que algo estava me motivando a ser feliz e apenas agradecia a Deus sem muito entender, eu sorria sem motivo...
Eu olhava para a janela com esperança e ainda esperava um sonho se infiltrar, porém algo me motivava a sair daquele lugar, tomar o sereno da noite, o vento da manhã, me arriscar e fluir pra onde o sofrimento seja lento demais pra me alcançar.
Então eu fui embora.
Eu encontrei repouso em novas maneiras, esperei uma tarde inteira para saber que não tinha saído do meu quarto em vão, foi ai então que me deparei com um sorriso e um abraço em um frio acompanhado de vozes e carros.
Eu assisti a noite ficar cinza, não conseguia achar músicas para descrever aquele momento e novamente eu precisava de alguém pra sussurrar baixinho, de repente...para onde foram minhas atenções?
-Hã?
-Desculpe, não ouvi o que você disse.
Alguém me perguntou onde eu estava com a cabeça e eu respondi: Será que ela já passou das nuvens!? Ou está perdida em cima do meu corpo!?
Nunca pensei que fosse possível fazer momentos ou dias como os de filmes, mas eu estava lá e gravei tudo. Embora eu não durma há dois dias, uma nostalgia fria me arrepia até os ossos e talvez eu queira ter ficado ali com você, mas eu preciso acordar e dizer ao mundo real que ainda estou viva e que vão ter que aturar meu sorriso bobo por muito mais tempo.
Vou sentir falta dos seus braços a minha volta, mas irei sentar na varanda a noite toda, mergulhado fundo em pensamentos, porque quando eu penso em você eu não me sinto tão sozinha.
Então fica combinado assim, logo menos eu durmo novamente pra sonhar e espero que você esteja lá com apenas um sorriso e um abraço agasalho.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Consequências

Criei um nome ruim pro meu jogo na cidade, parti meu coração, e o desliguei.
Nada para fazer, nenhum lugar para estar,
Um tipo simples de liberdade. Nada além de mim.


Eu sempre disse o porquê não queria largar o sentimento, todas as pessoas, todas as músicas, tudo ao meu redor dizia que era necessária a solidão..E realmente era.
Eu demorei pra me acostumar com a idéia de te deixar ir embora da minha mente, na verdade te mandar embora dela, sempre pensei no futuro e como seria estar sozinha não só fisicamente como nesses 2 anos, mas mentalmente também. Eu sei que tive outros caras nesses anos, mas eu estou falando de amor e não de desejo.
Minhas conclusões precipitadas nunca falham! Eu me lembro de quando disse isso, era referente a você e tudo que estava havendo naquela época, depois de anos eu ainda afirmo essa idéia, porém nunca levei em conta minhas preciosas conclusões precipitadas. Talvez seja por medo. (ou não)
Como sempre meus amigos falavam por diversas vezes para eu conversar com você, dizer toda a verdade, ver o que você sentia depois de todo esse tempo.
E eu?
Dessa vez abracei minhas conclusões precipitadas e pedi pra elas taparem meus ouvidos.
Estava decidido. Não foi tão difícil assim te esquecer, até me assustei, mas talvez sempre estive me preparando pra isso e nunca percebi.
Comecei me afastando de tudo que diz respeito a você, ou seja, de TUDO!
Sai um pouco, procurei perceber mais as pessoas ao redor, descobri as músicas agitadas, com letras de atitude, nada de me desprezar e me rebaixar, com elas aprendi a me valorizar;
Procurei viver cada momento como se estivesse em uma brincadeira e sorri a todo instante, finalmente eu estava aprendendo a estar do lado bom e independente da necessária solidão.
E as músicas continuavam me incentivando..como Vanessa Carlton já dizia: “Não posso resistir ao dia”
3OH!3 sempre esclarecendo.. “Agora, A-M-O-R é só outra palavra que eu nunca aprendi a pronunciar (STARSTRUKK)
Afirmando... “Acho que talvez eu não possa ter um relacionamento, porque ultimamente eles não estão fazendo sentido (Double Vision)
Moony sempre levantando o astral com “I don’t know why” (Viva cada momento, cada um e todos os dias ♪)
Entre outras milhares de músicas que me ajudaram mais do que nunca a dar valor pra mim e não para algo abstrato.
Entre tanta nostalgia e ‘felicidade’ a necessária solidão passou a não ser mais tão necessária, eu estava com uma liberdade simples e aproveitava tudo ao meu alcance. Porém, como alegria de pobre dura pouco...Eu comecei a perceber que justo quando eu precisava das pessoas para rir da vida e conversar sobre tudo e nada, elas me mostravam o que realmente as deixavam felizes. E não era rir da vida comigo.
Eu vi todas as pessoas ao meu redor contando uma linda história de amor, outras dizendo que perderam um amor, mas lutaria por ele até o fim, outras encontrando novas razões para músicas românticas.
E eu?
O que eu tinha pra contar? Que tinha acabado de esquecer quem me fez sofrer sozinha por 2 anos e estava aproveitando a vida...sozinha por sinal.
Eu aprendi que a liberdade não tem graça quando se está sozinho, é uma proporção grande demais pra um coração só bater, um corpo só pulsar.
Eu comecei a precisar de alguém pra rir dos meus tropeços e implicar com o meu sorriso, ou com o jeito que eu bato os dedos indicadores quando estou com vergonha.
Ser independente não era mais tão incrível assim.
Por momentos eu pensei: Vamos por partes, agora eu notei que também preciso de alguém, mas quem?
Não tenho mais quem amar, não tenho mais em quem pensar. E eu fico bem até o exato momento em que algo me leva a pensar em alguém, isto é, quase toda hora, mas quem?
Eu descobri a conseqüência de dar ouvidos as minhas conclusões precipitadas e tentar trazer a felicidade. Essa conseqüência era a falta de alguém, é não ter um amor, não ter alguém pra me chamar de “minha” e eu chamar de “meu”, é ter que se limitar a uma sexta à noite quando você se prende ao computador porque lá fora só existem casais montando mais uma história para rir no sábado, não ter carinho, não se sentir querida. Afinal o ser humano tem necessidades sentimentais e eu não sou nenhuma anormal (até onde sei).
Tenho MUITO que agradecer a Deus e não posso reclamar de nada com Ele, pois Ele sabe de todas as coisas e se está tudo assim foi por Ele ter permitido e sei que Ele tem me ajudado a não me deixar levar por momentos e desejos que passam e machucam (pessoas erradas). Só espero que Ele saiba que por aqui as coisas estão bem difíceis e eu preciso de um abraço do amor, talvez para me sentir mais viva, ou pra não deixar morrer meu grande sonho de poder contar uma linda história de amor um dia.
Enfim...Olá meu amor, esteja onde você estiver (espero que não muito longe) e seja quem for... Estou esperando por você, apenas se apresse um pouco, posso acabar ficando louca ou deixar de acreditar em amor (como em tempos passados) se você se atrasar. Dica: Venha na hora certa!
I miss you Love!



"Talvez vocês tenham sido mais rápidos que eu
Nós desistimos uns dos outros tão facilmente
Essas feridas bobas nunca vão melhorar
Sinto que estou tão longe de onde estava

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

I'm So Tired





Estive sentado assistindo a vida passar diante das calçadas
esperando por um sonho infiltrar-se entre as minhas cortinas
eu me perguntei o que poderia acontecer se eu deixasse tudo para trás
poderia ser o vento nas minhas costas? Poderia tirar você da minha cabeça desta vez ♪
(August Rush – This is Time)



Eu estou cansada, muito cansada!!!
É muito bom sorrir, me divertir...Realmente ser feliz consome todo meu tempo, mas o meu sorriso engraçado termina quando eu lembro que ainda estou nisso, nesse caso que parece nunca ter fim.
Nossa é tão difícil assim? Você não me quer, nem eu te quero mais aqui, pelo menos pra sofrer desse jeito não. Será que isso é tanto medo assim de não ter ninguém pra eu dizer que gosto? Ou alguém pra colocar a culpa dos meus dias tristes?
Não me importa!
Eu quero ser feliz, viver a minha vida cada minuto e todos os dias, mas pra isso você precisa entrar ou ir embora de uma vez. A resposta é óbvia você vai querer ir, como diz Ana Carolina: “Vai a porta esteve aberta o tempo todo...SAI!”
Você vai me perguntar: E aquilo que você diz sobre “o conforto da incerteza”?
Não sei como vou conseguir me separar do conforto da incerteza depois de estar junto com isso há 2 anos. Não poder mais usar sua pulseira, não ter mais seu retrato no meu quarto, as cartas de amor nunca entregues...Isso já virou parte de mim, mas se isso tem que ir, pode levar essa minha parte, eu não me importo, já aprendi a viver incompleta.
Eu disse que aprendi a viver a felicidade dos outros, mas isso me machuca mais ainda. Ver coisas que eu queria que acontecesse comigo, situação que eu olho e penso: “Parece que isso nunca vai acontecer comigo”
E são coisas tão simples...como um pedido de namoro surpresa na frente dos seus amigos, um anel, eu te amo, nunca me abandone, rir e falar de tudo e qualquer coisa...
Momentos.
Eu desperdicei todos esperando ter apenas um com você.
Palavras.
Eu tentei guardar todas que pensei em te dizer e acabei libertando-as pelo vento pra ver se um dia ele me traz alguém que queira e mereça ouvi-las.
Tempo.
Eu quero roubá-lo todo só pra mim.
Eu só quero sair desse conto de histórias não encantadas e viver minha história real e sem fim com ou sem você, com outra pessoa, sozinha..Não me importa!
Só quero sair desse livro de ilusões e não ter que pseudo fazer as coisas ficarem bem!
Eu sinto minha pele envelhecer e ela suplica por vida, ela já está cansada de viver a sua ilusão.