sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Consequências

Criei um nome ruim pro meu jogo na cidade, parti meu coração, e o desliguei.
Nada para fazer, nenhum lugar para estar,
Um tipo simples de liberdade. Nada além de mim.


Eu sempre disse o porquê não queria largar o sentimento, todas as pessoas, todas as músicas, tudo ao meu redor dizia que era necessária a solidão..E realmente era.
Eu demorei pra me acostumar com a idéia de te deixar ir embora da minha mente, na verdade te mandar embora dela, sempre pensei no futuro e como seria estar sozinha não só fisicamente como nesses 2 anos, mas mentalmente também. Eu sei que tive outros caras nesses anos, mas eu estou falando de amor e não de desejo.
Minhas conclusões precipitadas nunca falham! Eu me lembro de quando disse isso, era referente a você e tudo que estava havendo naquela época, depois de anos eu ainda afirmo essa idéia, porém nunca levei em conta minhas preciosas conclusões precipitadas. Talvez seja por medo. (ou não)
Como sempre meus amigos falavam por diversas vezes para eu conversar com você, dizer toda a verdade, ver o que você sentia depois de todo esse tempo.
E eu?
Dessa vez abracei minhas conclusões precipitadas e pedi pra elas taparem meus ouvidos.
Estava decidido. Não foi tão difícil assim te esquecer, até me assustei, mas talvez sempre estive me preparando pra isso e nunca percebi.
Comecei me afastando de tudo que diz respeito a você, ou seja, de TUDO!
Sai um pouco, procurei perceber mais as pessoas ao redor, descobri as músicas agitadas, com letras de atitude, nada de me desprezar e me rebaixar, com elas aprendi a me valorizar;
Procurei viver cada momento como se estivesse em uma brincadeira e sorri a todo instante, finalmente eu estava aprendendo a estar do lado bom e independente da necessária solidão.
E as músicas continuavam me incentivando..como Vanessa Carlton já dizia: “Não posso resistir ao dia”
3OH!3 sempre esclarecendo.. “Agora, A-M-O-R é só outra palavra que eu nunca aprendi a pronunciar (STARSTRUKK)
Afirmando... “Acho que talvez eu não possa ter um relacionamento, porque ultimamente eles não estão fazendo sentido (Double Vision)
Moony sempre levantando o astral com “I don’t know why” (Viva cada momento, cada um e todos os dias ♪)
Entre outras milhares de músicas que me ajudaram mais do que nunca a dar valor pra mim e não para algo abstrato.
Entre tanta nostalgia e ‘felicidade’ a necessária solidão passou a não ser mais tão necessária, eu estava com uma liberdade simples e aproveitava tudo ao meu alcance. Porém, como alegria de pobre dura pouco...Eu comecei a perceber que justo quando eu precisava das pessoas para rir da vida e conversar sobre tudo e nada, elas me mostravam o que realmente as deixavam felizes. E não era rir da vida comigo.
Eu vi todas as pessoas ao meu redor contando uma linda história de amor, outras dizendo que perderam um amor, mas lutaria por ele até o fim, outras encontrando novas razões para músicas românticas.
E eu?
O que eu tinha pra contar? Que tinha acabado de esquecer quem me fez sofrer sozinha por 2 anos e estava aproveitando a vida...sozinha por sinal.
Eu aprendi que a liberdade não tem graça quando se está sozinho, é uma proporção grande demais pra um coração só bater, um corpo só pulsar.
Eu comecei a precisar de alguém pra rir dos meus tropeços e implicar com o meu sorriso, ou com o jeito que eu bato os dedos indicadores quando estou com vergonha.
Ser independente não era mais tão incrível assim.
Por momentos eu pensei: Vamos por partes, agora eu notei que também preciso de alguém, mas quem?
Não tenho mais quem amar, não tenho mais em quem pensar. E eu fico bem até o exato momento em que algo me leva a pensar em alguém, isto é, quase toda hora, mas quem?
Eu descobri a conseqüência de dar ouvidos as minhas conclusões precipitadas e tentar trazer a felicidade. Essa conseqüência era a falta de alguém, é não ter um amor, não ter alguém pra me chamar de “minha” e eu chamar de “meu”, é ter que se limitar a uma sexta à noite quando você se prende ao computador porque lá fora só existem casais montando mais uma história para rir no sábado, não ter carinho, não se sentir querida. Afinal o ser humano tem necessidades sentimentais e eu não sou nenhuma anormal (até onde sei).
Tenho MUITO que agradecer a Deus e não posso reclamar de nada com Ele, pois Ele sabe de todas as coisas e se está tudo assim foi por Ele ter permitido e sei que Ele tem me ajudado a não me deixar levar por momentos e desejos que passam e machucam (pessoas erradas). Só espero que Ele saiba que por aqui as coisas estão bem difíceis e eu preciso de um abraço do amor, talvez para me sentir mais viva, ou pra não deixar morrer meu grande sonho de poder contar uma linda história de amor um dia.
Enfim...Olá meu amor, esteja onde você estiver (espero que não muito longe) e seja quem for... Estou esperando por você, apenas se apresse um pouco, posso acabar ficando louca ou deixar de acreditar em amor (como em tempos passados) se você se atrasar. Dica: Venha na hora certa!
I miss you Love!



"Talvez vocês tenham sido mais rápidos que eu
Nós desistimos uns dos outros tão facilmente
Essas feridas bobas nunca vão melhorar
Sinto que estou tão longe de onde estava

Nenhum comentário:

Postar um comentário