sábado, 20 de novembro de 2010

Is this thing


“Ei, nós não nos conhecemos muito bem
Então porque eu continuo pegando meu celular?
Relembrando as recordações
Ouço vozes que eu não quero entender”
♪ (Amerie – One Thing)

Nesses últimos tempos fiquei mais sensível, então tive que redobrar o cuidado comigo mesma e na realidade... Eu não sou nada fácil. Mudo de opinião milhões de vezes por minuto, me agarro nas pessoas que amo, me escondo das pessoas que amo, corro pra alcançar o que quero, corro pra fugir de nada, invento um mundo lilás e moldo ele conforme as pessoas que o freqüentam, se algo me deixar mal eu pinto o mundo que inventei e troco tudo pra tristeza não reconhecer o lugar, na verdade eu vivo camuflada com medo de que sentimentos ruins me achem...Para as coisas boas, eu apenas deixo um convite para um encontro infinito e secreto.
Depois de acontecimentos tão loucos e incríveis na minha vida eu fechei os olhos e apenas tentei imaginar a realidade, mas não consigo mais fechá-los. Eu corri com medo da ilusão ter descoberto minha camuflagem, tentei me desligar disso, mas tem coisas que nós nunca pensamos e param diante dos olhos. Tentei manter tudo como antes, mas parecia algo real sem explicação.
Talvez eu apenas não acredite nisso por estar cansada de tentar, mas tem algo que por segundos me faz acreditar... Então eu estaria talvez presa do avesso girando no mesmo lugar?
E tem algo que vem de você que tem as chaves da minha mente, olha você fez uma bagunça!
Tudo que me resta é cantar com a Amerie e dizendo:

“É essa coisa que me faz tropeçar
É essa coisa que me deixa alucinada
Essa coisa que minha alma pode estar sentindo
É essa coisa que você fez
É essa coisa que me fez escorregar
É essa coisa que eu quero admitir
É essa coisa e eu estou com ela
É essa coisa que você fez”



Nota: algumas frases do post é a letra da música One Thing – Amerie, porém com o sentido modificado.
  

domingo, 14 de novembro de 2010

Então...


Você era tipo meu amante e meu melhor amigo
Tudo embrulhado e com um laço em cima
E de repente, você foi embora
Eu não soube como seguir...
Você nem mesmo reconhece a forma como me magoou, não é?
(Rehab – Rihanna)

Como diz outra parte da mesma música acima: “Droga, não é uma loucura quando você está completamente apaixonada? Você faria qualquer coisa por quem ama, porque sempre que você precisasse de mim, eu estaria lá é como se você fosse minha droga favorita. O único problema é que você estava me usando de um modo diferente de como eu estava te usando”
Essa é a maior verdade que já existiu no meio da minha mente cansada e bagunçada. Por que precisamos ficar tão cegos e idiotas vulneráveis quando estamos amando? Já não basta o sentimento de felicidade e dor ao mesmo tempo, o medo de perder, a alegria de amar, a insegurança de não saber o que está fazendo.
Eu nunca tinha acreditado suficientemente em amor, sabia que existia, mas ignorava a existência talvez por pensar que não aconteceria tão cedo comigo, até que veio você... Carregado de problemas e triste por alguém que não gostava de você. Então eu te ajudei e um dia eu acordei com você no meu mundo, só me pergunto todos os dias por que eu tinha que amar justo você... No final das contas seria mais vantagem amar um canalha, um mentiroso, mas você... O único mal que você fazia eram incensáveis cócegas até eu chorar de tanto rir.
Eu deveria saber que você era inocente demais pra cair na primeira armadilha que qualquer conspiração armasse pra nós. E caiu!
Talvez esse fosse meu maior medo: você me tinha em seus braços, mas eu nunca pude te segurar com as mãos. Então você foi e eu nem posso culpar tanto as nossas conspirações, pois você foi com seus próprios pés, como uma criança influenciada por um doce. Acho que eu fiquei doente e insana.
Tentei deixar outras pessoas ocuparem aquele vazio, mas ninguém tinha aquele sorriso tímido, nem aquele abraço doce. Eu passei por tanta coisa, menos por você novamente e estava ficando cansada de deixar as pessoas erradas na minha vida. Então coloquei todo mundo pra fora e me tranquei com o espelho.
E eles diziam: Você me aceitou do jeito que eu era e sabendo como eu era. Por que isso agora?
E eu respondi: Sim te aceitei e é com a mesma aceitação que eu te mando embora de mim, essa aceitação agora é pra mim, cansei de moldar as pessoas ao meu jeito e nunca ser naturalmente real, aliás... Quem algum dia me aceitou por completa e mais bônus adicionais?
Eu fiquei um tempo ali presa com o espelho, tentando me aceitar e achar algo útil, mas foi isso que eu ganhei pelo pensamento ilusório: Eu me culpei por tudo e nunca me achava o suficiente, porque se eu fosse você talvez ainda estivesse aqui. Não consegui achar nada em mim, então resolvi esperar... talvez alguém que me queira bem.
Então alguém me achou enquanto eu esperava por um sonho se infiltrar. E hoje meu sonho é o abraço e o sorriso desse alguém, que não são iguais ao seu, porém me fazem sorrir e estar sempre bem. Talvez não falte muito pra eu não lembrar mais do seu ou até mesmo de você.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O que você nunca vai saber


Tem a ver com Édipo, tem um pouco de vergonha, tem a ver com seus olhos claros, com seu sorriso perfeito, com as linhas do seu rosto.
(Talvez – Verônica H.)


Não pretendo te contar sobre minhas lutas mentais. Você terá nas mãos minha simplicidade e minha leveza, que podem não ser totalmente verdadeiras, mas foram criadas com muito carinho pra não assustar pessoas como você. Não vou ficar falando sobre a complexidade dos meus pensamentos, minha dualidade ou minhas dúvidas sobre qualquer sentimento do mundo. Vou te deixar com a melhor parte, porque eu sei que você merece. Guardo pra mim as crises de identidade e a vontade de sumir. Não vou dissertar sobre minhas fragilidades e minhas inseguranças. Talvez eu te diga algumas vezes sobre minha tristeza, mas só pra ganhar um pouquinho mais de carinho. Ofereço meu bom humor e minha paciência e você deve saber que esta não é uma oferta muito comum.

Se você tivesse chegado antes, eu não teria notado. Se demorasse um pouco mais, eu não teria esperado. Você anda acertando muita coisa, mesmo sem perceber. Você tem me ganhado nos detalhes e aposto que nem desconfia. Mas já que você chegou no momento certo, vou te pedir que fique. Mesmo que o futuro seja de incertezas, mesmo que não haja nada duradouro prescrito pra gente. Esse é um pedido egoísta, porque na verdade eu sei que se nada der realmente certo, vou ficar sem chão. Mas por outro lado, posso te fazer feliz também. É um risco. Eu pulo, se você me der a mão.

Você não precisa saber que eu choro porque me sinto pequena num mundo gigante. Nem que eu faço coisas estúpidas quando estou carente. Você nunca vai saber da minha mania de me expor em palavras, que eu escrevo o tempo todo, em qualquer lugar. Muito menos que eu estou escrevendo sobre você neste exato momento. E não pense que é falta de consideração eu dividir tanto de mim com tanta gente e excluir você dessa minha segunda vida, porque há duas maneiras de saber o que eu não digo sobre mim: lendo nas entrelinhas dos meus textos e olhando nos meus olhos. E a segunda opção ninguém mais tem.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Valer a Pena


Tanta coisa desperdiçada à tarde
Tanta coisa sagrada no mês de junho
E quanto a você? ♪ 
(John Mayer – Clarity)


Olhe ao redor e respire lentamente, o que você sente?
Sou responsável por cada ato feito em cada segundo e mesmo tendo plena ciência de tudo que faço continuo sem saber o que fazer. Às vezes eu apenas desperdiço meu tempo fazendo o que não vale apena, porém entre algumas vezes vejo que o que parece não valer à pena, vale uma grande lição. Então passa a valer à pena!
Falando em “valer à pena” você sabe o que significa a expressão? (Ou você pensou mesmo que seria pena de “sentir pena”?)
Todos sabem que antigamente não existia caneta, existia uma tinta e a pena para escrever. Essa expressão se refere a essa pena, antigamente as pessoas se perguntavam se valia gastar a pena com as coisas ou histórias que escreviam.
Existem tantas coisas na nossa vida que não acontecem e nem sabemos que poderia acontecer. Verdade! Um exemplo?...
Desencontros.
Os dias são longos e nos entrelaçamos com tantos rostos, não conseguimos lembrar nem de no mínimo dez pessoas que olhamos, talvez de algumas que nos chamaram atenção, mas são tantas faces, tantos gestos e estilos diferentes.
Já parou para pensar quantas vezes você já passou pelo mesmo lugar que o amor da sua vida sem nem conhecê-lo? É..no mesmo instante, juntos! Talvez entrelaçando as faces ou apenas seguindo o mesmo fluxo. Ou quantas vezes se deparou com a hora certa, mas não foi ágil o suficiente pra perceber isso e talvez tenha encarado o que poderia ser um dos melhores dias da sua vida como um dia comum. Você nunca vai saber disto.
- Ahh! Mais isso faz parte da vida, acontece todo instante, é normal!
Sim, é normal. Porém eu não estou falando de destino, estou falando de atitudes!
Existem dias que eu acordo e fico me policiando em tudo que faço e me perguntando “o que será que eu perdi tomando essa atitude?”. Eu sinto muito medo do tempo, pois ele não nos diz o que vem pela frente e independente de errarmos ou acertarmos ele sempre leva um pouco da nossa vida. Não existe tempo só para erros, pois entre tantos erros nós acertamos na vida, mesmo esse acerto sendo a certeza de que vou errar.
Queria poder ser mais rápida, mais corajosa, não desistir tão rápido. Existem vezes que me encontro em um desconforto tão grande que tudo que eu consigo fazer é deitar e sentir as feridas ardendo com o pensamento dizendo “um dia vai sarar”. É..eu preciso parar de alimentar essa covarde covardia, levantar e ignorar os machucados, eu perco muito tempo.
Quando você tenta pegar algo e esse algo sempre foge, você luta por aquilo e quando finalmente pega ele morre em suas mãos, assim são os nossos sonhos, a nossa fé, nossa esperança. Tanta coisa desperdiçada de tarde e quantas vezes eu já me rendi hoje?
Preciso limpar toda essa bagunça e parar de viver com medo do futuro, mas apenas viver intensamente para a dor ser mais leve e que o arrependimento seja por ter feito e não por ter deixado de fazer. Amanhã pode ser muito tarde!