terça-feira, 3 de setembro de 2013

Tomorrow is enough


 “Tudo o que você quiser
Tempo de recomeçar
Solidão eu já vivi
Na cidade que não volta.
Todo o meu amor até
Impossível de se dar
Tarde de se andar a pé
Na cidade que não volta
...Tudo o que você quiser
Tempo de recomeçar
Coração no seu lugar
Na cidade que não volta
(Marcelo Camelo)
Essa é uma carta de despedida, as últimas palavras de uma pessoa muito difícil de lidar consigo mesma e que se embola nas respostas que procurava para sanar seus vícios e tormentos.
Amanhã, quando o sol olhar pela primeira vez ao se levantar verá outra pessoa, algo novo e determinado que não tem mais tanto medo do que irá passar e de como terá que viver pra conseguir ser como planeja. Essa nova pessoa não irá mais pensar na dor que é ter seus sonhos e desejos passando pelo mar do esquecimento, não irá mais sofrer com o tormento que é não conseguir dormir a noite, não irá mais chorar escondida em seu quarto.
Ultrapassando todos os seus limites e obstáculos que lhe puseram, essa pessoa passará a fazer aquilo que é necessário e largar tudo que aparentemente é muito bom pra deixar de lado. Tanto tempo defendendo a tese de ignorar tudo que é certo pelo simples fato de não querer sofrer e viver infeliz sem ter e fazer o que gosta, mas na verdade ela estava errada porque tudo o que ela fazia e gostava demais pra deixar de lado era seu próprio veneno e aos poucos ela estava morrendo achando que estava feliz, mas não estava nem perto disso. A felicidade era o oposto e demorou muito pra ela perceber isso, todos esses anos e tudo que ela deixou de viver por uma falsa vida a custou muito caro e deixou algumas consequências bem ruins, mas ela não se importa porque, pra ela, nunca é tarde o suficiente até que Deus diga.
Amanhã não será mais um dia em que ela irá acordar e ver que tudo o que idealizou na noite anterior não passaram de palavras, pois ela escreveu tudo pra não esquecer e deixar com que a distração plantada em seu coração floresça, ela irá levantar, tomar toda coragem que a foi tomada e jamais voltará atrás. Eu prometo!